Orgulho!

Orgulho!

sexta-feira, 2 de julho de 2010

CERRO BRANCO, PARAÍSO DO SUL E AGUDO








Fotos: Antiga Biblioteca Pública de Cerro Branco, Igreja Luterana de Paraíso do Sul (a casa Paroquial ao lado não existe mais), Placa do Museu do Imigrante em Agudo, vista parcial do acervo, Igreja Luterana de Cerro Branco, Cemitério dos Schwantz.

Em 1885, o Governo Provincial criou a Colônia Santo Ângelo, nome dado em homenagem ao seu fundador Ângelo Muniz Ferraz, então Presidente da Província. Apenas a 1º de novembro de 1857, foi que os primeiros imigrantes alemães chegaram a Centro Chato, à margem esquerda do rio Jacuí.
Agudo, Cerro Branco, Rincão do Paraíso e Rincão da Contenda tomaram parte da história da colonização por parte de imigrantes que vieram de várias regiões da Alemanha, como Silésia, Pomerânia, Boêmia e Prússia.
As famílias que chegaram à Colônia entre 1857 e 1882, receberam 48 hectares de terra, para pagar ao governo num prazo de 30 anos.
Os primeiros imigrantes alemães chegaram ao Rio Grande do Sul em 1824 durante o governo do Imperador D. Pedro I.

Fonte de Pesquisa: História da Colônia Santo Ângelo, Volume I de William Werlang e Artigo no jornal Correio Popular, de Cachoeira do Sul (hoje O Correio), datado de 27/06/1996 - Seminário do Museu Municipal de Cachoeira do Sul, 'Alemães foram os Pioneiros do Arroz'.

4 comentários:

  1. O casarão da foto fica em Cerro Branco,na Avenida 12 de Maio, e pertence no mínimo a umas quatro gerações à Família Scheidt.
    Acho que foi construído por André Scheidt; depois coube ao filho Walter Edgar Scheidt, e mais tarde ao neto Fernando Rui Scheidt - meu saudoso amigo - e por fim, aos bisnestos Fernandinho e Catiéle Scheidt.
    Em frente, o cemitério evangélico e a Igreja Luterana Betel, onde casei e foram batizados os meus filhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quase um ano após a tua postagem, José Hildor Leal, vou respondê-la. Agradeço a tua participação e as informações prestadas. O casarão é um dos cartões postais de Cerro Branco bem como a Igreja Luterana e o cemitério onde devem estar descansando inúmeros imigrantes.
      Um abraço!

      Excluir
  2. Bom dia, Renate Elisabeth Schmidt de Aguiar
    Visitei o teu Blog fazendo uma pesquisa sobre os imigrantes alemães em Cerro Branco,de onde minha avó Verônica Schimidt foi originária.
    Casada foi para Soledade e perdemos muitos indícios desta família e como chegaram ao Brasil. É o que estou pesquisando, mais de onda na Alemanha eles vieram.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia, Yvonne!
    Meus bisavós chamavam-se Wenzel e Franziska Schmidt. Vieram da Boêmia e imigraram para a Colônia Santo Ângelo da qual fazia parte Cerro Branco. Tiveram 5 filhos: Julius (casou-se com Elisa Esbich Schmidt), Joseph (casou-se com Anna Auguste Mathilde Radiske), Wilhelmine (surda-muda, solteira), Adolf(sem dados sobre ele) e meu avô, Francisco, que teve cinco filhos com Marie Antoinette Barmann. Qualquer coisa, estou à disposição. Meu e-mail é resaguiar@gmail.com. Possuo facebook. Abraço, Renate

    ResponderExcluir